sábado, 6 de outubro de 2012

Aproximações e diferenças entre as críticas feitas por Dilthey e Max Weber.


Dilthey e Max Weber foram críticos ao historicismo alemã, Dilthey negava as ciências naturais em História e mostra que as ciências sociais ou ciência do espirito e a melhor opção para a construção histórica, já para Max Weber a história é uma ciência positiva.
            Ambos os referidos historiadores são críticos ao cientificismo naturalista em história. Dilthey elaborou três critérios para a distinção entre ciências naturais e ciências sociais, onde no primeiro critério ele mostra que o homem deve estudar a sim mesmo, e não estudar objetos naturais, que são necessariamente exteriores ao homem, no segundo critério, este depende do anterior, Dilthey acredita que o sujeito cultural tem seu próprio conjunto de valores e estes influenciaram em sua pesquisa histórica e em sua analise da sociedade e da cultura, no terceiro critério ele caracteriza a ciência do espirito como uma ciência que caracteriza e compreende os fatos sociais e históricos, como isso o historiador ira descobrir e atribuir significados a estes fatos. Weber critica os naturalistas por causa de estes acreditarem que as leis são o único fim da ciência, e pensão esgotar o conteúdo da realidade por meio de um sistema de relações abstratas.
            Max Weber tem em suas criticas uma que é bem semelhante ao segundo critério da distinção entre a ciência naturalista e a ciência do espirito de Dilthey, que é a afirmação que a história é parcial, pois os valores interferiram na construção do saber histórico, pois o real é finito. Ainda sobre esta questão Dilthey percebe que a história não pode ser construída objetivamente, pois cada individuo tem sua verdade, por isso não tem condições de conhecer a realidade em si.
            Max Weber constrói uma critica radical ao historicismo alemão do século XIX, em suas maiores vertentes a do idealismo e a do positivismo em história, ele criticava o modo positivo que os metafísicos jugavam ter apendido, sobre a essência dos fenômenos, as forças profundas, as leis do todo que comandaria do devi, acima do homem que pensam e julgam agir e critica também os positivistas que partem da ideia que a ciência e conceito do geral, e o individuo só pode ser aprendido intuitivamente.
            Já Dilthey, que foi critico de Von Ranke e do historicismo, a sua postura acaba sendo ambígua, pois não se tratava de negar o historicismo rankeano, mas de ultrapassá-lo.
            Portanto Dilthey e Weber foram grandes críticos do historicismo alemão, embora que Weber era mais radical e defendia a ciência positiva, enquanto Dilthey defendia a ciência do espirito, mas ambos eram contra o naturalismo e acreditavam que a história é parcial, pois os valores do historiador estavam em sua construção historiográfica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário